ALTANGRAM - PINTURA - ESCULTURA - FOTOGRAFIA

Contactos

Albuquerque e Lima Lda
Rua Gil Vicente 86A
3000/202 Coimbra

239703359/ 917766093

mamede.albuquerque@gmail.com

Praia de Mira

Praia de Mira

Eu tenho sempre gaivotas

do pensamento ao desejo.....

Informação wikipédia

Praia de Mira é uma vila e freguesia portuguesa do concelho de Mira, com 39,82 km² de área e 3 147 habitantes (2011). Densidade: 79 hab/km².[editar]

História

Uma das referências mais conhecidas de Palheiros de Mira, data de 1875 que ao referir-se à Vila de Mira, diz que “está distante 6 km do oceano e tem estrada para «palheiros de Mira, na praia do Mar», lugar cujos habitantes são «quase todos pescadores».[1]

Há no entanto outras referências mais obscuras e mais antigas, no Jornal de Coimbra de 1812[2] num artigo consagrado à Barra Velha de Aveiro informa que «A Barra velha de Aveiro tinha de profundidade sobre o banco, ou na menor altura, no ano 1777-8 palmos: em 1778-6 palmos: em 1802-5 palmos. Era ela perto da costa e palheiros de Mira».

No mesmo ano de 1812, nas Memórias económicas da Academia real das Ciências de Lisboa[3], encontra-se uma das mais antigas referências à pesca artesanal que se pratica até aos dias de hoje (ainda que bastante modificada): «Na Costa de Mira, onde não se observa outra pescaria, senão aquela que se faz com o aparelho chamado Artes, fui informado que este com o barco faz de despeza 600000.»

Em 1815, novamente no Jornal de Coimbra[4], encontra-se uma nota referente ao abate de pinheiros naPraia de Mira, sendo esta uma das primeiras referências à localidade pela nome que o tempo fixou: «Em Outubro de 1815, estando eu na Praia de Mira, ouvi a muitos dos habitantes daquela Vila chorar a futura perdição dos seus prédios pelo sucessivo corte dos pinheiros que os abrigavam das areias.»

A praia de Mira, em 2011 é a única praia do Mundo com a Bandeira azul durante 25 anos consecutivos. Estas são as coisa boas do nosso País, às quais a comunicação social dá pouca ou nenhuma atenção.

[editar]Os Palheiros

Palheiros, lápis e tinta-da-china, Henrique Matos, 2000.

Em meados dos anos 50 existiam mais de 600 construções em madeira. A maior originalidade deste aglomerado de pescadores/agricultores era exactamente a sua arquitectura de madeira que, sem ser exclusiva nesta região completamente desprovida de pedra e com abundância de pinhais, adquiriu aqui a sua expressão mais pura, as casas chegavam a atingir dois e mesmo três andares, possuindo dimensões não encontradas noutras praias e formavam a quase totalidade da povoação até ao final dos anos 60, a própria capela, junto da praia e ainda existente, é de madeira, pintada de azul e branco e é um dos principais símbolos desta povoação. [5]

[editar]Pesca artesanal

Pesca artesanal com bois, pastel de óleo, Henrique Matos, 1995.

Cada barco era lançado à água e retirado de lá por duas juntas que puxavam cabos presos às argolas da proa ou da ré do barco, este deslizava sobre rolos de pinho colocados no sentido da largura que por sua vez, rolavam sobre uma dezena de vigas compridas e flexíveis, de eucalipto, dispostas longitudinalmente. A rede era puxada por dez juntas de bois. Quando o barco saía, ficava logo um cabo preso na praia, o outro era trazido pelo barco, no regresso. [5]

No ano 2009 algumas das suas companhas pararam. Neste momento só estão a trabalhar 7 companhas, as principais tem como o nome do seu barco: S. José, António Vieira, F.C.P. e Estrela do Mar.

[editar]Património edificado

  • Capela da Praia de Mira
  • Estátua em Homenagem ao Povo da Praia de Mira - Escultura em Bronze de André Alves[6]
  • Igreja Nova da Praia de Mira
  • Museu Etnográfico